quarta-feira, 8 de outubro de 2008

"Línguas de Perguntador"

Saiu hoje o primeiro artigo do CLP no semanário regional "A Voz do Minho" numa rubrica que intitulámos "Línguas de Perguntador" (ideia da Ana Isabel do 12ºF). Deixamos aqui expresso o nosso agradecimento ao Director do jornal, Dr. David Macedo, por esta oportunidade.
Aqui fica o artigo: O Clube da Língua Portuguesa (CLP) é constituído por alunos da Escola Secundária/3 de Barcelinhos que lá frequentam diferentes níveis de escolaridade. Foi criado no ano lectivo de 2006/07 por uma docente da Escola, Aida Sampaio Lemos, que tem vindo a organizar e coordenar as actividades que o CLP tem vindo a desenvolver com vista a chamar a atenção para a importância do conhecimento e do domínio da língua materna. Mais informações sobre o CLP e sobre as actividades já desenvolvida podem ser encontradas em http://www.clp-esb.blogspot.com/ e http://www.clubelingua.pt.vu/. "Aquele que pergunta e o que gosta de perguntar" é um perguntador. Nós gostamos de perguntar e de procurar as respostas. Por isso, nas "Línguas de Perguntador", tentaremos encontrar e dar respostas às muitas perguntas, de todos e para todos, que existem sobre a língua portuguesa. História das palavras, explicações para alguns dos erros que grassam por aí, curiosidades sobre a língua portuguesa, palavras cujos significados foram mudando ao longo dos tempos... traremos aqui coisas "do tempo da Maria Cachucha", mas não queremos fazer nada que fique "pior a emenda que o soneto". Já agora, sabe de onde provêm estas expressões idiomáticas de uso tão banal? A expressão "Do tempo da Maria Cachucha" é usada para referir algo antigo e a sua origem está ligada a uma dança espanhola na qual, ao som de castanholas, o dançarino começava a dançar num movimento moderado, acelerando cada vez mais, até terminar num aceso voltejo. Esta dança esteve também na moda em França, sobretudo por causa de uma dançarina famosa, Fanny Elssler, que a dançou na Ópera de Paris. Em Portugal, houve uma cantiga muito popular intitulada Maria Cachucha, ao som da qual, no séc. XIX, era usual as pessoas do povo dançarem, sendo uma adaptação da Cachucha espanhola, com uma letra bastante galhofeira. Assim, quando hoje dizemos "Isso é do tempo da Maria Cachucha" queremos exprimir o facto de ser algo do passado, antiquado ou antigo. A expressão "Pior a emenda que o soneto" utiliza-se para dizer que o conserto de algo ficou/ficará pior do que o original. O soneto é uma composição poética composta por duas quadras e dois tercetos e conta-se que um pretendente a poeta pediu a Manuel Maria Barbosa du Bocage (poeta português que viveu entre 1765 e 1805) uma avaliação de um soneto que tinha composto, dizendo-lhe que podia marcar com uma cruz os erros que encontrasse. Bocage leu o soneto e não pôs nenhuma cruz, dizendo ao aspirante a poeta que, se fosse a marcar com uma cruz os erros, seriam tantas as cruzes que a emenda ficaria ainda pior do que o soneto. Voltamos para a semana com mais respostas para as "Línguas de Perguntador". lperguntador@gmail.com CLP

2 comentários:

Marta Monteiro disse...

É muito bom saber que o nosso clube tem um "espaço" no jornal A Voz do Minho. Isto só reflecte o empenho e entusiasmo com que todos os alunos do clube trabalham nos projectos!

Abraço para todos

Sofia Carvalho disse...

foi muito bom participar nesta iniciativa .