quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Línguas de Perguntador (In "Voz do Minho" de 22/10/2008)

Caros leitores, mais uma semana em que as Línguas de Perguntador vão ao vosso encontro e não de encontro a vós. As duas expressões “ao encontro de” e “de encontro a” são muitas vezes mal empregues. A primeira traduz uma ideia de favorecimento, algo agradável ou bem-vindo; pelo contrário, “de encontro a” dá ideia de oposição e contrariedade. Estas duas expressões são semelhantes na forma, mas opostas na ideia que exprimem. É por isso muito importante saber a diferença entre elas para que cada um de nós consiga interpretar correctamente um texto e utilizá-las de forma adequada no dia-a-dia, para não sermos o “bode expiatório” de ninguém. “Bode expiatório”? Ora, aqui está outra expressão usualmente utilizada e que tem no sentido figurado um significado totalmente diferente do literal. O bode expiatório era um animal que era apartado do restante rebanho e deixado só na natureza selvagem, como parte das cerimónias hebraicas na época do Templo de Jerusalém. Assim, em sentido figurado, um "bode expiatório" é alguém que é escolhido arbitrariamente para levar a culpa de uma adversidade ou qualquer acontecimento negativo. A busca do bode expiatório é um acto irracional de determinar que uma pessoa ou um grupo de pessoas, ou até mesmo algo, seja responsável por um ou mais problemas. Por falar em caprinos, alguma vez lhes perguntaram “Está a pensar na morte da bezerra?”. Certamente muitas. E já pensaram no que realmente lhes pretendiam dizer? Historicamente, este ditado popular provém da Bíblia. O bezerro era um animal adorado pelos hebreus e sacrificado para Deus num altar. Quando Absalão, por não ter mais bezerros, resolveu sacrificar uma bezerra, o seu filho mais novo, que tinha grande carinho pelo animal, opôs-se, mas em vão. A bezerra foi oferecida aos céus e o rapaz passou o resto da vida sentado do lado do altar “pensando na morte da bezerra”. Consta que meses depois o rapaz veio a falecer. E assim, esta foi mais uma semana em que as Línguas de Perguntador deram a conhecer aos leitores o sentido de algumas expressões e ditados populares. Pretende-se assim transmitir às pessoas o bom uso da Língua Portuguesa. Para a semana, continuam as Línguas de Perguntador com outros colegas do CLP e com mais novidades. Continuem a enviar as vossas dúvidas para o nosso e-mail lperguntador@gmail.com. Até para a semana! (CLP – Marta Monteiro e Sofia Carvalho, 12ºE)

2 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns meninas!!

Muito bem escrito!

Beijinho grande

Ana Isabel 12ºF

Diana Monteiro disse...

Mais uma vez, a rubrica "Línguas de Perguntador", elaborada pelos alunos pertencentes ao Clube da Língua Portuguesa da nossa escola, publicada pelo jornal "A Voz do Minho", foi muito interessante!

Parabéns irmã e Sofia!!