quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Hoje, porque sim.

(foto de Bruno Silva)
O que se diz nunca é exacto
nenhuma voz nos dita
o que se passa
Por isso a palavra é uma procura
do que nunca se lhe entrega
e é essa separação que a alimenta
e nela se abre o horizonte
do impronunciável
António Ramos Rosa(in A Intacta Ferida)

2 comentários:

Me disse...

DETESTO erros ortográficos.
Gosto deste blog.

AidaLemos disse...

Nós também não gostamos de erros ortográficos. Agradecemos-lhe a visita.